Templates by BIGtheme NET

A modelo Najila Trindade Mendes Souza, suposta vítima de estupro de Neymar, confirmou sua versão em entrevista ao SBT na noite desta quarta-feira. Diante da pergunta se havia sofrido estupro ou se a relação tinha sido consentida, a modelo de 26 anos confirma a acusação que a levou a registrar um Boletim de Ocorrência na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher na última sexta-feira. “Fui vítima de estupro”, afirmou. Quando questionada se havia sido estupro ou apenas uma agressão, ela confirmou: ‘Agressão juntamente com estupro”.

O escritório de advocacia Fernandes e Abreu Advogados, contratado pela mulher que acusa o jogador Neymar de estupro, rescindiu o contrato com a cliente. A alegação é de que ela havia relatado agressão, sem mencionar estupro, no primeiro relato. A modelo afirma que o primeiro advogado não estava acreditando nela. “Ele não estava acreditando totalmente em mim. Eu senti preconceito da parte dele. Ele disse para mim que ‘você vai ter de cortar a unha, a gente vai ter de levar isso para a frente’. Deu a entender que você não foi estuprada. Você fez porque você quis. Eu vou isentar essa parte. Vou falar agressão porque eu tenho as provas, você me mostrou as provas”, afirmou a modelo. ‘Ele só acreditou porque viu a foto que o próprio Neymar mandou para mim. Minha foto machucada’.

Na entrevista, ela também confirma que Neymar pagou as despesas de viagem a Paris. O crime teria ocorrido no dia 15 de maio, na capital francesa, depois que eles se conhecerem pela rede social Instagram. “Eu falei com ele como uma pessoa comum. Era um intuito sexual, era um desejo meu. Acho que isso ficou claro para ele desde o começo”, explica a modelo. “Ele disse quando eu poderia ir e eu disse que não poderia ir por questões financeiras. E também a questão da minha agenda e do meu trabalho. Aí, ele sugeriu que eu posso resolver isso”, contou a modelo.

Najila descreve como foi sua chegada à capital francesa. “Quando chego a Paris, ele manda mensagem e diz que ia passar no hotel para me dar um beijo e me cumprimentar. Eu tinha o desejo de ficar com o Neymar. Quando cheguei lá, estava tudo bem. Quando ele cheguei lá, ele estava agressivo. Totalmente diferente daquele cara que conheci nas mensagens. Até aí, tudo bem. Como eu estava com muita vontade de ficar com ele, eu falei ok, vou tentar manejar aqui. A gente começou a trocar carícias, ficar e se beijar. Daí, ele me despiu. Até aí, tudo bem. Depois, ele começou a me bater. Nos primeiros ok, estava tudo certo. Depois, começou a me machucar muito. Falei ‘para, está doendo”. Ele falou: ‘desculpa, linda’. Ok, continuamos. Deitados na cama”, conta a modelo.

Segundo a suposta vítima, a discussão começou por causa do uso de preservativo. “Eu perguntei se ele havia trazido preservativo. Ele disse ‘não’. Então eu disse que não ia acontecer nada além disso. Não podemos. Ele não respondeu nada. A gente continuou. Então ele me virou, cometeu o ato. Eu pedi para ele parar. Enquanto ele cometia o ato, ele continuava batendo na minha bunda e começou a me bater violentamente”, contou a modelo. “Depois eu girei, tudo muito rápido, questão de segundos. Ele não se comunicava muito. Ele só agia”.

Na visão da modelo, a relação consensual virou ato de estupro quando ele teria se tornado agressivo. “A partir do momento que falei ‘não podemos’. Quando ele me virou, ele já foi cometendo o ato. Ele não falou ‘eu não trouxe, mas eu tô a fim’. Não. Ele ficou calado. Para mim, ele tinha entendido. A partir do momento que ele me segurou violentamente, me batendo, ele estava me obrigando”, diz a modelo que afirma que a relação ocorreu sem preservativo.

Depois do acontecimento, ela continuou conversando com Neymar. “Eu tive que assimilar todo o acontecimento. Quando ele saiu do quarto, eu comecei a entender o que tinha acontecido, como ele foi estúpido, como ele foi ruim, como me violou, me violentou. Eu quis fazer justiça. Eu não acho porque só porque eu estava com vontade de ficar com ele, ele tinha o direito de fazer aquilo comigo. Não consegui reagir devido aos traumas. Se eu não falasse normalmente, ele não iria mais falar comigo. Eu não teria como provar.

Ela nega que a tentativa de extorsão alegada pelo pai de Neymar. “Fiquei sabendo disso. Ele (o advogado) não deixa que dar queixa. Fui à polícia contra a vontade”. Ele nega que tenha expectativa de uma compensação financeira. “Quero justiça. Ele me fez muito mal e estou muito traumatizada até hoje. Quero que ele pague pelo que ele fez.

Questionada se tinha consciência do que aquilo poderia representar, ela afirmou. “Tenho consciência do que representa para mim. Uma questão de honra. Ele não precisava ter feito aquilo. Eu já estava ali para aquilo. Era um desejo meu, sou livre e desimpedida.

No fim da noite de sábado, Neymar decidiu se manifestar em sua página no Instagram e, na tentativa de provar sua inocência, decidiu divulgar trechos da conversa que teve com a acusadora. Entre as conversas, ele divulgou também algumas das fotos íntimas que ela o enviou. O pai do jogador saiu em defesa do filho e da divulgação das fotos. Na segunda-feira, o Instagram decidiu remover o vídeo, por violar as regras da rede social.

A delegacia de crimes virtuais intimidou o atacante Neymar a depor na próxima sexta-feira, dia 7 de junho, para explicar sobre a postagem das conversas que teve com a mulher que o acusa de estupro. O advogado do jogador, Davi Tangerino, afirmou que ele irá se apresentar à polícia de forma espontânea, mas não definiu uma data.

Fonte: Terra


Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*