Três homens foram presos, um menor foi apreendido e outro homem, que participou do crime, não foi encontrado; segundo a polícia, eles tentaram roubá-la.

Circula nas redes sociais um vídeo no qual uma mulher, supostamente mãe de um dos suspeitos de ter participado da morte de uma travesti, na madrugada da última quarta-feira (30/9), no município de São José da Laje, diz que a vítima “morreu porque mereceu”. O BR104 recebeu o vídeo, mas não irá divulgá-lo.

Fabrício Alves da Silva, conhecido como Fabinho e de nome social Michele, foi morto a facadas após um desentendimento com os suspeitos, segundo a polícia. Três homens foram presos, um menor foi apreendido e outro homem, que também participou do crime, não foi encontrado.

No vídeo, que contém o áudio e imagens sobre o caso, a mulher, identificada como Teu, diz que a vítima “morreu porque mereceu, viado é para tomar no ra…”. Ela ainda profere palavras de baixo calão contra a impressa, que repercutiu o caso: “Quem escreveu essa matéria porque não vão se f….”, dispara.

Delegado titular da cidade, Edberg Oliveira informou que o assassinato não teve relação com transfobia. Segundo ele, a vítima havia passado a noite anterior na companhia de cinco pessoas ingerindo bebida alcoólica em uma residência, e, em função de um desentendimento, três dos participantes resolveram matá-la.

“Depois de roubarem a vítima, um homem e o menor tinham ido embora e os outros três suspeitos ficaram no local da festa. A vítima percebeu o furto, identificou os suspeitos e foi tirar satisfação. Eles tiveram um desentendimento com a vítima e a mataram. Depois ocultaram o cadáver dela em uma área de mata”, detalhou.

O delegado disse também que após o crime, dois dos envolvidos foram na casa de uma prima de um deles em busca de um carro de mão para carregar o corpo. Como não conseguiram, retornaram a residência onde estava Michele, e com as próprias mãos carregaram o corpo desovando o mesmo num matagal próximo ao local do crime.

“Diante do apurado, imputamos aos mesmos os crimes de homicídio qualificado e de ocultação de cadáver, e após denúncia do Ministério Público eles vão responder judicialmente pelo crime cometido”, concluiu Edberg Sobral.

Travesti é morta com facada no pescoço em São José da Laje — © Reprodução

Por REDAÇÃO CO, BR104


Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*